terça-feira, 29 de julho de 2008

Lembra?

Lembra quando o mundo era mais complicado e o hoje não chegava? Lembra?

Lembra quando sofrer era bom porque prenunciava o hoje que parecia longe? Lembra?

Lembra quando a gente se via sem se olhar e sabia que amanhã seria sempre? Lembra?

Lembra quando a gente descobriu almas espelhadas e sentiu medo de acreditar em coisas que não existem? Lembra?

Lembra que o tempo perdeu a razão em notas musicais simultâneas e a gente parou de pensar? Lembra?

Lembra que a chuva secou o passado alagado de erro e acinzentou de brilho nosso céu? Lembra?


Eu sei que você lembra de tudo e, de mim, não distingue memória de dor e de amor e de sempre e de todas as possibilidades - e o que virá do futuro já é hoje.

E o hoje a gente vive apenas. E escolhe lembrar.

4 comentários:

Germano Xavier disse...

Eu lembro, Lu.
Eu lembro...

GUNNER disse...

Pois é, acho que temos um problema, pois eu tb lembro...!!! hehehehehe

GUNNER disse...

Alguém mais lembra??? Isto já está me deixando preocupado!!! rsrsrs

Luciana F. disse...

heheheheh....ainda que uma pessoa lembre-se da tradução exata das minhas palavras, as lembranças da poesia coletiva estão sempre por aí...gunner, baby, don't need to worry.....rsrsrs...bjos