quarta-feira, 5 de março de 2008

(nexo pra que?)

Meu cansaço é desafiador de mim mesma. Esses muros todos. Essas paredes que parecem tão impossíveis de escalar a tempo. Que tempo é esse? O tempo que espero já é agora. Por que, então, espero outros tempos? Uma vez ou outra preciso de mãos de ajuda. Apenas porque pareça não quer dizer que seja. Refiro-me a mim mesma. Sou tantas que já nem sei. Umas já são habitués. Outras chegam sem aviso. Se puser todas na mesma sala, matam-se. Se mantiver seus olhos fechados, protejo-as. Perdem tanto quando amordaçadas. Que pena. É difícil querer viver e não ter autorização.

6 comentários:

Anônimo disse...

Para seguir em frente as vezes é preciso abondonar algumas coisas pelo caminho. Deixar para trás aquilo que pesa e que não será útil no lugar que queremos chegar!
Beijos querida.

Anônimo disse...

What´s going on?
Bjs
Biff

Anônimo disse...

chuchu,
tu escreve tanto que só quer ser feliz que eu começo a pensar que se tu conseguir, tu não tem mais o que escrever.
pense nisso.
to doida pra saber das aulas do carpinejar. escreva mais. escreva sem tantas releituras.
tu és infinitamente melhor quando não se preocupa com o que os outros estão lendo.
fazfavor pra tia.
beijomeliga
grazih

Luciana F. disse...

ai graziiiiiiiiiiiiiiii, eu gosto de ti pq you go straight to the point!!!rsrrsr..bjossss...saudades!

Anônimo disse...

new blog na área

http://spreadthosewingsdaretosoar.blogspot.com/

beijocas
grazih

Germano V. Xavier disse...

Faz assim, Lu!
Pega uma bota, calça ela.
Depois dá um bicudo bem forte nesse muro nojento, que eu quero é ver se ele não cái direitinho!

Depois me dizer como foi , viu?
Um beijo, minha querida!

Saudade de tu...

Geu