terça-feira, 11 de março de 2008

Eu também quero saber escrever assim!

Tem gente que escreve bem de nascença, fala sério!!!
"Quando a noite dos dias aparecer na escama da tarde, lua nova pingando as doenças da alma, acredite no corpo vermelho de tua ânsia. Acredite que o tempo é o amor. Porque o amor é o sangue-instante coagulado em poços artesianos humanos. Não prive teu olhar para a lâmina côncava da água negra. Não prive tua mão ao reconhecimento do sol. E deixe, não queira, deixe o corpo em lança perfurar teu perfume... e viver o amor-fragata navegando mares sem cor. O não saber o suspeitável ou o não querer sentir fumegantes ares é o real dom daquele que sabe. Não precisa querer. Querer é matar-se. Não precisa precisar, a voz é rouca sentinela apática. Não olhe de longe a carga do teu ombro, a doença de ver extrapola o fio do terror tecido: o amor." (Germano Xavier)

2 comentários:

Germano V. Xavier disse...

Eu teadoro, Lu!
Do verbo teadorar...

Beijos muitos sempre...

turningthetable disse...

tri lindo isso, mas what the fuck is a lamina concava da agua negra? i am too stupid for depth.
grazih