terça-feira, 23 de outubro de 2007

(...)

Seguidamente me decepciono com pessoas. Ao pensar nisso, para evitar lamúrias desnecessárias – ainda que sejam minhas, lamúrias são sempre de uma insuportável chatice -, fiz o exercício do espelho. Pensei que também decepciono. Assim como tenho expectativas frustradas, frustro expectativas por aí. É o toma-lá-dá-cá natural. Mas, por que, então, às vezes, sinto que dou mais do que recebo? Não é um bom sentimento. Talvez seja até uma falha. Cegueira emocional. Não enxergo o esforço alheio talvez. Sei lá, parece que falta clareza. De minha parte, pode ser que não esteja sendo clara nos objetivos e nas postulações. Da parte do espelho, pode ser que a suposta transparência, em verdade, seja apenas um mero reflexo.

5 comentários:

Marcelo disse...

É sempre bom deixar claros nossos objetivos e postulações. Esperar do outro é sempre complicado. Por isso me tornei cético em tantas coisas, principalmente em relação ao ser humano. Mas também não podemos presumir que o outro sempre saiba o que queremos/esperamos. Por mais que às vezes nos pareça óbvio.

Que nós não atendemos expectativas dos outros, também é uma verdade. A questão é saber a importância de cada frustração. E também se é expectativa criada pela própria pessoa ou se é expectativa que nós criamos nela. Isto acontece quando "vendemos" algo que não temos ou somos. Já aquilo ocorre quando o outro procura em nós algo que não temos a oferecer.

Anônimo disse...

To passando por uma experencia similar no momento. Decepcoes... "Eu nao teria feito assim, eu nao sou dessse jeito", mas de fato as pessoas nao sao todas iguais e eh sempre bom lembrar disso quando se poe expectativas num relacionamento ou alguem. Espero que isso nao venha a te tornar uma pessoa que nao tem fe em ninguem. Pra mim, no momento, so me faz pensar...putz ainda acho melhor estar sozinho do que mau acompanhado, pq nao sei ser fake e nem quero.
beijos
Karen

Luciana F. disse...

QUE ORGULHO DESSES MEUS COMENTADORES!!! TUDO DE BOM!!!

André Vasques disse...

É, tu tem tudo para ser uma escritora...
Tu consegue expressar exatamente aquilo que outras pessoas, dentre as quais eu, sentem!
E faz isso com uma autenticidade impressionante!
Desculpa, mas vou ter que copia esse texto no meu blog. Tem a minha cara muitas vezes!
Um beijo.
André.

Denken disse...

Ceticismo ceticismo!!!!