domingo, 20 de maio de 2007

Foco

Tenho que manter o foco. Iniciei este blog porque decidi que não levaria a vida tão a sério e porque vi que o tempo que passa não é destruidor de ilusões, muito antes pelo contrário. Mas na correria do cotidiano, me peguei preocupada de novo com meus rumos profissionais, com as expectativas dos outros em relação à minha pessoa, com o modelo social no qual me inseri (ou ao qual fui tragada), enfim, coisas que não pertencem ao foco projetado por mim quando da virada dos 30. Não que eu tenha voltado no tempo (psicologicamenmte falando), não, de forma alguma. É que às vezes tenho umas recaídas de seriedade que são totalmente dispensáveis.
Não sei se meu problema é ser propensa demais à retidão de caráter ou o extremo oposto: sou tão propensa à sair da estrada que me condicionei à linha reta para não sofrer.É, creio que a segunda opção. E faz tempo. Mas disfarço super bem, justiça seja feita. Até que não é ruim não, mas às vezes dá uma vontade de não dar explicação de absolutamente nada pra ninguém.
(Nossa, nem sei mais sobre o quê estou falando).
Bom, vejam que o problema do foco estende-se às demais áreas - não estou conseguindo nem focar o texto aqui.
Anyway, vou me esforçar para não me importar com isso também.
(Cadê o botão aquele, hein??!!)

2 comentários:

Anônimo disse...

Lu: você definiu muito bem o problema. Me identifiquei um monte com o que escreveste. Beijos
Biff

g r a z i h e n k e disse...

Foco. Engraçado esse objetivo, né? Nos pegamos fazendo tantas coisas ao mesmo tempo que é complicado manter o foco em alguma coisa. Ainda acredito que temos que saber onde queremos chegar. O resto, é uma BR101 à noite, com os faróis ligados. Enxergamos uns 50 metros na frente, nada mais. Mas sabemos onde queremos chegar. O foco ganha um papel meio coadjuvante assim. Muito foco desfoca tudo aquilo que nos cerca. Muito foco nos faz perder oportunidades que se jogam em nossos pés. Sabes que eu realmente me sinto mais tranquila aos 30? Agora só me importa saber onde quero chegar, e trabalhar muito para chegar. O resto, é só resto.
beijos